De Freddie Mercury a Rolling Stones
Listas

De Freddie Mercury a Rolling Stones

Sucesso nos cinemas americanos, a cinebiografia Bohemian Rhapsody, de Dexter Fletcher, revela os bastidores da formação do Queen. O encontro de Freddie Mercury, vivido nas telas por Ramy Malek, Brian May, John Deacon e Roger Taylor, é um daqueles acontecimentos astrológicos raros e resultou num dos maiores sucessos do rock nas últimas décadas do século XX. Enquanto o filme não chega aos cinemas brasileiros, os fãs da banda podem se deliciar com a leitura de “Freddie Mercury – biografia definitiva”, de Lesley-Ann Jone ou com essas seis outras dicas de livros sobre bandas e astros do rock.

Agenda (14/10)
Agenda

Agenda (14/10)

Nesta semana Monja Coen e o professor Clóvis de Barros Filho fazem lançamento de livro em São Paulo. Fabrício Carpinejar faz palestra no Rio Grande do Sul, enquanto Antonio Torres faz palestra na Feira Literária de Friburgo. Já Bel Rodrigues lança “13 segundos” em São Paulo e Fernando Rocha lança seu livro no Rio de Janeiro. Saiba mais!

“O encontro marcado” pela centésima vez
Notícias

“O encontro marcado” pela centésima vez

A centésima edição do clássico de Fernando Sabino chega às livrarias pela Record. Para homenagear o grande autor que completaria 95 anos no dia 12 de outubro, separamos alguns trechos marcantes do livro. Confira!

Paulo Freire em conteúdo inédito saindo do forno
Quentinho da gráfica

Paulo Freire em conteúdo inédito saindo do forno

Com dia dos professores chegando e intensos debates sobre educação por conta das eleições, é inevitável evocar o nome de um dos maiores educadores do país. Esta semana recebemos da gráfica “Pedagogia do compromisso”, que reúne textos de Freire, alguns inéditos, sobre educação popular. A obra chega às livrarias em novembro.

“Pare de se odiar”, de Alexandra Gurgel
Entrevistas

“Pare de se odiar”, de Alexandra Gurgel

Referência do movimento body positive, a jornalista Alexandra Gurgel conta em “Pare de se odiar”, sua jornada em busca de aceitação e liberdade — como aprendeu a se ver sem motivos para vergonha. Com bom humor, ela trata de assuntos espinhosos – desde depressão e outras doenças nascidas de uma sociedade gordofóbica até relacionamentos tóxicos, amorosos ou não – e desconstrói conceitos nos quais aprendemos a (tentar) nos encaixar durante a vida inteira, destacando a importância de entender o feminismo como uma porta para este sentimento tão libertador que é não odiar o próprio corpo. Na entrevista a seguir, Xanda fala sobre sua experiência e sobre os projetos aos quais o ativismo body positive deu origem.

Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais