Quentinho da gráfica

Série, romance baseado em fatos reais e uma ode à boêmia

Nenhum Comentário

 Eu sou GrimalkinNono livro da série As aventuras do caça feitiço, Eu sou Grimalkin conta a história da feiticeira assassina e sua sede de vingança pela morte de seu filho. Com a escrita envolvente de Joseph Delaney, o leitor agora poderá conhecer a história pelo ponto de vista da bruxa mais temida de todas.

A grande ambição da feiticeira assassina Grimalkin é destruir o Maligno, e assim vingar o assassinato brutal de seu filho. Tendo, contra a vontade, unido forças com o caça-feitiço e seu aprendiz, Tom, e os ajudado a conter o Maligno, ela agora está em fuga. E sua missão é mortal. Ela tem que impedir que o espírito do Maligno volte à Terra, independente de quem — ou o que — venha atrás dela. Será que Grimalkin pode sobreviver a um inimigo criado com o único propósito de destruí-la?


Memória afetiva do botequim cariocaDas antigas casas de pasto, boticas, armazéns e tabernas até os cafés, uisquerias e os bares como conhecemos atualmente, o botequim vem se desenvolvendo e ganhando novos contornos desde a fundação do Rio de Janeiro. Memória afetiva do botequim carioca, dos autores Paulo Thiago de Mello e Zé Octávio Sebadelhe, é um inventário amoroso desse estabelecimento, que percorre sonhos, desejos e usos de seus fundadores e usuários. Com 26 verbetes, o livro revela como os botequins influenciaram a história da cidade, de sua arquitetura, seus hábitos e costumes culturais, sociais, gastronômicos e etílicos. Com apresentação do jornalista Sérgio Cabral e do cantor e compositor Aldir Blanc, notórios boêmios, o livro foi produzido por Leo Feijó, fundador de 10 bares e casas de show no Rio de Janeiro e diretor do Sindicato de Bares e Restaurantes da cidade; com pesquisa de Flávio Silveira, especialista em memória urbana e integrante da equipe do “Rio Botequim”; e com gestão de Aline Brufato, sócia do Bar Semente, Memória afetiva do botequim carioca faz parte da biblioteca RIO 450 de livros selecionados pela prefeitura para a comemoração do aniversário da cidade. Editada pela José Olympio, a obra chega às livrarias em dezembro.


Rainha do tráficoEm A rainha do tráfico, corrupção, amor e intriga se entrelaçam, trazendo à tona os piores instintos humanos. O romance do escritor espanhol Arturo Pérez-Reverte gira em torno de Teresa Mendonza, uma das maiores traficantes de drogas da Espanha. A trama se confunde com a história real de Sandra Ávila Beltrán, figura lendária do narcotráfico mexicano que deixou a prisão no início deste ano. O livro já havia saído no Brasil com o título A rainha do sul e agora retorna às livrarias pela editora Record como A rainha do tráfico. A obra inspirou a série La reina del sur, que está disponível no Brasil pelo +Globosat e pelo Netflix.

Comentários
Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais