Dica de leitura

O que ler nas férias?

Nenhum Comentário

Para muita gente, janeiro é sinônimo de férias. É época de ficar de pernas pro ar em casa ou viajar, de curtir uma praia ou ficar no ar condicionado, de sucumbir à preguiça ou decidir finalmente começar aquele exercício…. Seja qual for a atividade principal das suas férias, uma coisa é certa: é quando todo mundo que gosta de livros separa um tempo para colocar a leitura em dia. Aproveitando a época, fizemos uma lista de títulos que têm tudo a ver com esses dias de folga: há opções levinhas que não pesam na mala pra quem for viajar, histórias divertidas que caem bem pra um dia de praia, e os best-sellers do ano – que você finalmente vai conseguir ler! Confira as dicas abaixo:

Capa Férias Comercial DS.aiFérias, de Marian Keyes (Bertrand Brasil)

A diversão e o romance estão garantidos nas férias de Marian Keyes. Na trama da escritora irlandesa, acompanhamos a vida de Rachel Walsh, uma mulher de 27 anos cheia de problemas com as drogas que acaba sendo arrastada para a clínica de reabilitação. A princípio, ela acha que vão ser umas boas férias: banheiras de hidromassagem, academias, artistas meio doidões. Mas a rotina de sessões de terapia não vai ser bem o que Rachel esperava. Com saudades do namorado, ela acaba buscando salvação num cara que tem um passado cheio de histórias. Rachel é levada da dependência química para o terreno desconhecido da maturidade, passando por uma ou duas histórias de amor, neste romance que é, ao mesmo tempo, comovente, forte e muito, muito engraçado.

 

9788576863977.Perdidos por aí, de Adi Alsaid (Verus)

Tem gente caindo na estrada e jornada de autoconhecimento. Algo mais férias do que isso? Leila está dirigindo para o Alasca. Seu objetivo é ver o espetáculo da Aurora Boreal, algo que sua avó não pode fazer pessoalmente. Nesta jornada em seu peculiar carro vermelho, a jovem acaba cruzando com quatro pessoas em diferentes pontos da viagem. Ainda que estes encontros pareçam obra do acaso, Leila, de alguma forma, consegue marcar a vida destes jovens ao ajudá-los a superar alguma dificuldade. Mas, ao longo dos sete mil quilômetros que a separam do seu objetivo, a garota acaba entendendo melhor sobre si mesma e percebe que, muitas vezes, aquilo que você precisa está no seu ponto de partida.

 

9788501106124.Fernão Capelo Gaivota, de Richard Bach (Record)

Uma das obras mais populares e importantes das últimas décadas, o livro conta a história de Fernão, gaivota que acredita que voar vai além da necessidade de buscar alimentos ou lutar por uma melhor posição hierárquica no bando. Ele não quer voar para viver e sim viver para voar. Quem busca uma leitura cheia de metáforas, reflexões e aprendizado sobre liberdade, vai ter boa companhia nas férias. A nova edição, publicada pela Record em 2015, inclui a quarta parte do livro, escrita pelo autor após sofrer um acidente de avião em 2012 e passar quatro meses no hospital.

 

 

Número zeroNúmero zero, de Umberto Eco (Record)

Uma leitura rápida, mas consistente: “Número zero” foi um dos destaques de 2015. Em seu livro mais recente, o italiano Umberto Eco usa a Operação Mãos Limpas como pano de fundo para falar sobre política e jornalismo na Itália. O leitor acompanha a trama pelos olhos de Colonna, um ghost writer meio fracassado que aceita um emprego no jornal “Amanhã”. Criada por um magnata da mídia, a nova publicação não tem exatamente o papel de informar. Como apenas seu diretor e Colonna sabem, o Amanhã nunca será publicado de verdade. Os jornalistas contratados devem fazer apenas 12 “números zero”, edições teste, com reportagens cuidadosamente escolhidas para difamar ou amedrontar os inimigos de seu editor.

 

Capa A Garota no Trem AG.aiA garota no trem, de Paula Hawkins (Record)

Ótima chance para quem ainda não leu um dos livros mais comentados do ano. Dica: se as férias incluirem uma viagem de  trem, a leitura vai ser ainda melhor. Na trama, Rachel pega diariamente o trem de Ashbury até Londres e se distrai olhando o que acontece pela janela. Gosta de fantasiar especificamente sobre um casal e sua vida aparentemente perfeita. A primeira virada acontece quando Rachel vê algo surpreendente do trem: a mulher está beijando outro homem. Frustrada ao ver arruinada sua fantasia, e um tanto abalada ao relacionar o acontecimento com sua própria experiência, ela resolve agir e vai até a rua onde a dupla mora. Mas há um detalhe: Rachel é alcoólatra e tem lapsos de memória. No dia seguinte, sem saber bem o que aconteceu, acorda machucada e ensangüentada. E descobre que a tal mulher está desaparecida. Narrado alternadamente por três personagens nada confiáveis, “A garota no trem” não economiza nas reviravoltas e na angústia.

 

Tua OKTua, de Claudia Piñeiro (Verus)

Uma mistura de trama policial, humor negro e altas doses de ironia: o romance de Claudia Piñeiro é Hitchcock misturado com Woody Allen ao retratar uma família de classe média argentina envolvida num assassinato. Inês é uma dona de casa que descobre a traição do marido mas, convencida de que todas as mulheres serão traídas em algum momento, está disposta a fazer de tudo para manter o relacionamento. A narrativa é ágil, bem humorada, mas ao mesmo tempo ácida e crítica.

 

 

 

9788501091536.Sangue na neve, de Jo Nesbo (Record)

Quem está procurando uma trama policial mais tradicional, pode apostar neste lançamento mais recente do autor norueguês. Com apenas 154 páginas, é uma boa introdução na obra de Nesbo para quem não o conhece, além de ser ótimo para carregar na mala. A trama acompanha Olav, um matador de aluguel, especialista em matar a sangue frio. E é pela sua incrível habilidade que ele é contratado para prestar serviços a um dos mais perigosos chefes do crime organizado de Oslo, Daniel Hoffman. Olav só não sabia que, ao aceitar este novo  desafio, acabaria conhecendo a mulher da sua vida. Corina é linda: loira, com maçãs do rosto salientes e chama a atenção de Olav. O problema é que ela é sua vítima.

 

Dois garotos se beijando OKDois garotos se beijando, de David Levithan (Galera)

Finalista do National Book Award de 2013, o livro tem como ponto central o beijo entre Harry e Craig: dois meninos de 17 anos que querem entrar para o livro dos recordes ao dar o beijo mais longo do mundo. Ao redor deles, outros meninos, influenciados pelo desafio do beijo, precisam lidar com questões universais como amor, identidade e a sensação de pertencer.  Avery conhece Ryan, mas não sabe como dizer a ele que é transexual; Cooper vive sua vida flertando com meninos pela internet que ele nunca vai conhecer; e Neil e Peter são um casal como outro qualquer. Cada um desses meninos tem uma situação diferente. Alguns contam com o apoio incondicional da família, outros não. Alguns sofrem com o bullying na escola, outros, com o coração partido. Quem narra a história é a geração dos anos 80, que observa e se vê refletida nos jovens que hoje têm mais liberdade para assumir sua sexualidade. Com seu texto sempre sensível, divertido e doce, Levithan escreveu um dos livros mais bonitos de 2015.

 

9788503012508.Teus pés toco na sombra e outros poemas inéditos, de Pablo Neruda (José Olympio)

E por falar em sensibilidade, nada como passar as férias na companhia de Neruda: os textos deste livro foram encontrados por pesquisadores da Fundação Pablo Neruda após análises minuciosas de uma coleção de manuscritos deixada pelo autor. Ao todo, são 21 poemas totalmente inéditos, que abordam temas como o amor, o mar, o trabalho, a terra, a condição humana. Há também textos de fundo memorialístico e textos satíricos, entre muitos outros. E a edição é bilíngue: ainda dá para treinar o espanhol nas férias.

 

 

PERGUNTE_AO_PO_recomposto_SAIDAPergunte ao pó, de John Fante (José Olympio)

Se o desejo é resgatar um clássico para a temporada de folga, a nova edição de “Pergunte ao pó” lançada pela José Olympio em 2015 é uma aposta certeira. O livro acompanha as peripécias do protagonista Arturo Bandini, personagem ficcional mas muito inspirado no próprio autor. Ítalo americano e aspirante a escritor, ele vive perambulando por Bunker Hill, em Los Angeles, em meio a uma vida um tanto decadente.

 

 

 

 

9788520002032.Histórias de cronópios e famas, de Julio Cortázar (Civilização Brasileira)

Outro clássico e ótima porta de entrada para a obra de Julio Cortázar, este livrinho escrito na década de 50 reúne algumas das características mais marcantes do autor argentino. Na história, os cronópios são criaturas verdes e úmidas, que gostam de cantar e recitar versos, mas muito distraídas, vivem perdendo o que têm nos bolsos, são atropeladas e choram. Muito diferentes são os famas, organizados e práticos, o que não impede que sejam os cronópios a sentirem por eles uma compaixão infinita. São narrativas curtas, mas um intenso exercício literário.

 

 

9788501105677.Antônio, de Domingos Oliveira (Record)

O primeiro romance de Domingos Oliveira conta a história de Antônio, um professor de antropologia casado que se apaixona, em plena noite de Natal, em Paris, aos 42 anos, pela socióloga Blue, 40 anos. Os dois voltam ao Brasil e vivem juntos por dezoito anos, até que Blue troca Antônio por um namorado bem mais novo. Antônio se apaixona novamente e começa a sair com duas mulheres ao mesmo tempo, que são namoradas, uma delas sua ex-aluna na faculdade. Blue escreve um livro e se casa com o editor que o publica. Antônio é também escritor e roteirista. Seu amigo Eduardo morre e vive assombrando o protagonista. Misturando filosofia, arte, literatura e paixão, o cineasta transpõe para o romance o universo de seus filmes e peças de teatro.

 

9788501104700.Os machões dançaram, de Xico Sá (Record)

Reservou um tempo nas férias para tentar entender (ou desistir de vez…) os homens modernos? Xico Sá ajuda! Neste livro, que fecha a trilogia “Modos de macho e modinhas de fêmea”, o jornalista e escritor se debruça sobre seus companheiros de gênero para tentar entender as mudanças que a contemporaneidade trouxe para os relacionamentos amorosos. Com o humor e o texto gostoso de ler, Xico Sá cunha expressões, debate comportamentos e, principalmente, se diverte.

 

 

 

O lado feio do amorO lado feio do amor, de Colleen Hoover (Galera)

Romance, drama, sensualidade: “O lado feio do amor” é uma boa pedida para quem quer passar as férias na companhia de uma história de amor que não tem nada de adolescente. A trama narra o romance tórrido entre Tate e Miles: ela, uma jovem que se muda para São Francisco para se dedicar ao mestrado de enfermagem e vai dividir o apartamento com o irmão. Ele, o vizinho, um piloto de avião completamente reservado e traumatizado. A química entre os dois fala mais alto e eles logo ficam juntos, mas o relacionamento terá que ser puramente físico segundo as regras do rapaz, que não quer se apaixonar.

 

 

O amante japonêsO amante japonês, de Isabel Allende (Bertrand Brasil)

Para um outro tipo de romance, mais clássico e tradicional, o leitor de férias pode se embrenhar na história contada por Isabel Allende. O enredo acompanha um amor épico em meio à Segunda Guerra, mas contado a partir dos dias de hoje: Irina Bazili, que acaba de ser contratada para trabalhar numa casa de repouso para da terceira idade, conhece Alma Belasco, uma senhora de porte aristocrático, e Seth. Os três formam um laço, e Alma acaba revelando informações sobre seu passado e uma paixão que alimentou secretamente por muitas e muitas décadas. Cartas misteriosas encontradas pelos dois jovens trazem à tona outras passagens da vida da protagonista.

 

Mindfulness - O diario OKMindfulness: O diário, de Corinne Sweet (BestSeller)

Se o objetivo é atingir o equilíbrio e acabar com o estresse, uns dias de folga podem ser suficientes. Mas aprender um pouco mais sobre o método de meditação mindfulness pode ajudar a manter a mente sã quando as férias terminarem. O livro de Corinne Sweet é uma introdução ao conceito, com exercícios fáceis que podem ser feitos em qualquer lugar, além de ilustrações e páginas para registrar seus pensamentos ao longo do processo.

Comentários
Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais