Palavra de editora

Civilização Brasileira vai lançar a biografia de Clementina de Jesus

Nenhum Comentário

Por Andréia Amaral

Há quase um ano fui procurada por quatro jovens autores com a proposta de publicar a biografia da Clementina de Jesus. Era resultado do trabalho de conclusão do curso de graduação, e eu, ainda cética, me perguntava se teria ali um trabalho consistente e que valesse a marca da Civilização Brasileira. A ideia era continuar a pesquisa e elaborar um livro de fôlego, mas nessa conversa inicial – num ano de crise, com apostas mais modestas e pé no freio para as contratações – o combinado foi que continuaríamos em contato até que o projeto avançasse um pouco mais.

Desde então, meu interesse pela obra foi ganhando tamanho. Constatei meu total desconhecimento a respeito da história da personagem. Ouvi algumas interpretações da Clementina, pesquisei referências a ela em publicações e vi que, de fato, como as autoras haviam ponderado, nenhuma justiça havia sido feita à sua grandiosidade. A Rainha Quelé precisava ter sua história oficializada.

Há pouco mais de uma semana reencontrei uma das autoras num papo delicioso e não tinha por que esperar mais. Além das ótimas notícias a respeito dos projetos paralelos que vêm sendo elaborados para homenagear a cantora, ouvi muitas histórias bem contadas, algumas sobre os bastidores do livro, e tive certeza de que não dava mais para adiar. Vai ser um grande prazer ajudá-los a resgatar a memória dessa mulher, cantora primorosa, negra, pobre, que representa tantas outras mulheres que estão por aí com um nó na garganta, com seu canto sufocado, com suas raízes perdidas no tempo. É também a história da música popular, da cultura afro-brasileira, carregada de religiosidade e de folclore.

Assim como outros livros que nos ajudam a desvendar a nossa música falando um pouco também do nosso país – como a biografia de Assis Valente, em Quem samba tem alegria, escrita por Gonçalo Junior, ou a trajetória da música sertaneja, contada por Gustavo Alonso no livro Cowboys do asfalto –, é chegada a hora dela. Agora, quando alguém perguntar por aí “Clementina, cadê você?”, teremos a alegria de responder: em breve, nas melhores livrarias de todo o Brasil, em mais um grande lançamento da editora Civilização Brasileira.

 

*A imagem que ilustra o post é da capa da edição especial do disco “Clementina, cadê você?”.

Comentários
Posts Populares
Não passarão

Não passarão

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais