Notícias

“Dicionário da história social do samba” vence o Prêmio Jabuti

Nenhum Comentário

O “Dicionário da história social do samba”, obra de referência sobre o samba e impressionante trabalho dos autores Nei Lopes e Luiz Antonio Simas, foi o grande vencedor do 58º Prêmio Jabuti na categoria Teoria/Crítica Literária, Dicionários e Gramáticas. O livro, lançado pela Civilização Brasileira, traz verbetes sobre os diversos gêneros, períodos históricos, temas relacionados como cinema, carnaval, política, preconceito, violência, indústria fonográfica, além de termos, expressões e lugares seminais de origem e tradição, como Oswaldo Cruz, onde nasceu a Portela, e o Estácio, bairro de bambas como Ismael Silva, Bide e Nilton Bastos, criadores da primeira escola de samba.

“Embora constitua o principal fenômeno cultural brasileiro surgido no século XX, embora seja a forma de arte tida e sentida como definidora da identidade nacional, é ainda relativamente escassa a bibliografia sobre o samba urbano carioca. Tal carência é tão mais assustadora quando nos damos conta de que o Samba deveria ser matéria regular nas nossas escolas, assunto recorrente em nossa academia – por corresponder ao que o país produziu e produz de melhor, e de mais original, entre suas criações literomusicais. Assim, nada poderia ser mais oportuno que a publicação deste “Dicionário da história social do samba, que vem não apenas enriquecer nossas bibliotecas, mas também abrir caminhos fundamentais para a expansão desse conhecimento. É obra que vem assinada por dois grandes bambas: Nei Lopes e Luiz Antonio Simas. Dois eruditos que dispensam apresentação, pelo que têm escrito, pelo seu devotamento intelectual à história do Rio de Janeiro e à cultura brasileira”, escreve o autor Alberto Mussa no texto de apresentação da obra.

Outros dois livros do Grupo Editorial Record também estão entre os vencedores, anunciados no último fim de semana. “Tancredo Neves: A noite do destino”, também da Civilização Brasileira, ficou com o segundo lugar na categoria Biografia. O livro retrata a vida pessoal e, principalmente, a trajetória política do primeiro presidente brasileiro eleito após o regime militar. O autor é o jornalista político José Augusto Ribeiro, assessor de Tancredo Neves durante a histórica campanha de 1984, e ele traz a público o resultado de mais de 15 anos de investigação. Com base em ampla pesquisa, que inclui farto material bibliográfico, documentos do arquivo pessoal de Tancredo, fotos e entrevistas exclusivas, o autor refez com detalhes os bastidores dos fatos vividos pelo biografado.

Já “Desesterro”, de Sheyla Smanioto, conquistou o terceiro lugar na categoria Romance. Vencedor do Prêmio Sesc de Literatura, o livro é o romance de estreia da autora, e foi lançado pela Record. A trama dá voz a diversas mulheres da periferia de uma grande cidade; Penhas, Fátimas, Cidas e, inesperadamente, uma Scarlett,  são todas Marias, mas conseguem nos fazer olhar para um mundo já conhecido a partir de um ângulo novo. Tudo parece estar entre a realidade e o sonho, o humano e o animalesco, com gerações se sucedendo em um universo miserável e violento, que ecoa um arquétipo de Brasil profundo.

 

Comentários
Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais