Dica de leitura

Nossos favoritos de 2016 – parte 2

Nenhum Comentário

Foram mais de 400 livros lançados em 2016 por todas as editoras e selos do Grupo Editorial Record. A lista é abrangente, e tem de romances a biografias, de ensaios a coletâneas, títulos infantis e juvenis, nacionais e estrangeiros. Mas é claro que todo mundo tem seus favoritos, e não é diferente conosco aqui no grupo. Alguns funcionários elegeram os três livros de que mais gostaram este ano, e contam aqui no blog quais foram eles. Hoje, a assessora de imprensa Raquel Araujo  fala de suas leituras de 2016.

3livrosraquel

“Talvez um dia”, de Colleen Hoover, Galera

Colleen Hoover é uma das poucas autoras que me fazem mudar qualquer programação para ler um de seus livros. Foi assim com “Talvez um dia”, que se tornou o meu preferido até aqui. A obra conta a história de Sydney, uma jovem estudante que descobre a traição do namorado com sua melhor amiga (e companheira de apartamento). Por sorte, Ridge, o vizinho da frente, convida Sidney para passar alguns dias em sua casa até que ela consiga assimilar toda a situação. O elo entre os dois é a paixão pela música. E foi desta forma que se conheceram: Ridge tocava violão na varanda de seu apartamento enquanto Sidney acompanhava o som e, muitas vezes, rascunhava letras para a melodia que escutava. Além de um enredo original, “Talvez um dia” dá aos personagens uma trilha sonora densa que os acompanha, literalmente, ao longo de toda a obra. Isso porque Colleen Hoover firmou parceria com o cantor e compositor Griffin Peterson e ambos compuseram as músicas presentes no livro. O resultado é incrível e recomendo ler o livro escutando a playlist no Spotify.

“Rainha das Sombras”, de Sarah J. Maas, Galera

Todo leitor tem uma série que acompanha. No meu caso é “Trono de Vidro”. Já perto da reta final, “Rainha das Sombras”, volume quatro da saga fantástica de seis livros, foi uma ótima surpresa neste ano. Na série, Celaena, considerada a maior assassina do reino, foi traída por seu mestre e aprisionada em um campo de trabalho escravo. Ela sai de lá quando o filho do rei a convida para participar do torneio de assassinos promovido pelo pai. O acordo previa que, se Celaena ganhasse, ela serviria a coroa por um tempo, depois teria os seus crimes perdoados e poderia viver livremente. Ao longo da série, ela percebe que é mais forte do que pensava e descobre a sua verdadeira identidade: uma rainha feérica. Agora com o nome de Aelin e longe dos domínios do rei do Castelo de Vidro, ela finalmente está de volta e têm muitas contas a acertar, começando por ele: Arobbyn, seu antigo mestre. A série “Trono de Vidro” mostra a força feminina e é ambientada em um universo fantástico. “Rainha das Sombras” é inteligente e cheio de reviravoltas. Um livro para fãs de fantasia e para aprender a gostar do gênero também.

“As gêmeas do gelo”, de S.K. Tremayne, Bertrand Brasil

Embalado pelo sucesso de “A garota no trem”, 2016 foi o ano dos thrillers psicológicos. Destaque para “As gêmeas do gelo”, um livro que promete brincar com o raciocínio do leitor até as últimas páginas. Lydia e Kirstie sempre chamam a atenção de todos. As meninas são gêmeas idênticas, de aparência angelical, daquelas que fazem questão de andar sempre iguais. Elas são “as gêmeas do gelo”, com cabelos loiros quase brancos e grandes olhos azuis. O que as diferencia é a personalidade. Enquanto Lydia é calma, gosta de ler e é mais próxima da mãe, Kirstie é extrovertida, animada e tem mais afinidade com o pai. Eles eram uma família unida até que um passeio para a casa dos avós, quando Lydia cai misteriosamente da sacada do segundo andar e morre, deixando um rastro de incertezas. Foi isso que aconteceu naquele dia fatídico. Ou, pelo menos, é o que Sarah, principal narradora da história, conta para o leitor. Uma de suas filhas morreu e a sobrevivente afirma que foi Lydia. Este é o único indício de que quem continua viva é Kirstie. E foi nisto que Sarah e seu marido acreditaram por mais de um ano. Até Kirstie começar a se queixar de um suposto engano, afirmando que ela, na verdade, é Lydia. O comportamento da menina muda repentinamente e os pais começam a questionar se, de fato, não cometeram um grande engano.

Comentários
Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais