Record convida

“Procure clientes em vez de emprego”

1 Comentário

Por Cesar Souza

14 milhões de desempregados! Nenhuma garantia que esse número decrescerá nos próximos meses. A recuperação das vagas de trabalho é sempre o último indicador da retomada de uma economia. No nosso caso, esse processo será lento e só ocorrerá como consequência de vários outros fatores: queda dos juros, aumento da confiança de investidores, maior otimismo dos consumidores, aumento nas exportações, aprovação de reformas e estabilização política.

Algumas dessas vagas jamais voltarão. Muitas estão sendo suprimidas pela nova dinâmica da economia, novos hábitos dos consumidores e por tecnologias que substituem a mão de obra pesada. Certas qualificações perderam a vez e passam a ser desnecessárias. Os manobristas e os garagistas perdem importância pois os aplicativos de compartilhamento de automóveis diminuem a necessidade dos estacionamentos. Atendentes e vendedores tradicionais do varejo serão menos necessários pois as lojas físicas se transformarão mais em locais de experimentação dos clientes, em vez de continuarem a ser os tradicionais PDVs – Pontos de Vendas. Há uma profunda migração, ainda pouco percebida, que exigirá novas qualificações para quem quer voltar a ter carteira assinada.

Qual a saída para quem perdeu o emprego e está há semanas ouvindo “não temos vagas” ao bater nas portas das empresas?

Empreender, trabalhar por conta própria, focar na sua vocação iniciando negócios e fabricando bens ou prestando serviços para clientes que necessitam daquilo que você sabe fazer. E de forma coerente com a vocação do nosso país, que se projetará muito mais como uma economia de serviços do que como uma potência industrial como equivocadamente alguns “desenvolvimentistas” ainda acreditam.

Investir em negócios vinculados a turismo, varejo, gastronomia, publicidade, moda, música, entretenimento, pecuária, agricultura, educação, saúde, tecnologia da informação, aplicativos, energia, transporte, serviços em geral, etc, faz muito mais sentido do que nos pesados investimentos nas chaminés do passado que consomem muitos recursos e geram poucas oportunidades.

Visando oferecer um “antídoto contra a crise”, escrevi dois livros, um já consagrado pelos leitores, o “Você é do tamanho dos seus sonhos” que ultrapassou a marca dos 200 mil exemplares vendidos, e o recém-lançado “Jogue a seu favor: Vire o jogo trabalhando por conta própria”. O primeiro busca estimular o leitor a resgatar sua capacidade de sonhar e a acreditar nos seus sonhos, inspirando-se em vários exemplos de empreendedores de sucesso que começaram pequenos, pensaram grande e cresceram rápido. O outro livro oferece uma metodologia para transformar o sonho em realidade, através de alguns passos para que quem perdeu o emprego ou está na iminência de perdê-lo, possa virar o jogo a seu favor e vá trabalhar por conta própria.

Não adianta lamentar o emprego perdido. Pouco adianta ficar batendo de porta em porta atrás do emprego que não voltará. Melhor dar a volta por cima e procurar clientes.

Qual a sua vocação? Quais as oportunidades que você percebe? Qual o sonho que você precisa desengavetar? Qual o diferencial do negócio que você pode montar? Qual o tipo de cliente que você pode servir? Essas são algumas questões que você precisa enfrentar para superar a situação e  vencer a crise que teima em perdurar.

Melhor procurar clientes que procurar empregos!

*Cesar Souza é presidente do Grupo Empreenda, fundador do EdE – Espaço do Empreendedor, palestrante e autor de “Você é do tamanho dos seus sonhos”  e de “Jogue a seu favor”, ambos  publicados pela Best Business.

Comentários
  • Marcos Bongianni

    Realmente, precisamos de mais pessoas com esta visão. É preciso se reinventar, crescer e não existe outro caminho a não ser trabalho e vontade.

Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais