Listas

Cinco motivos para ler “Menina boa, menina má”

Nenhum Comentário

Ali Land sempre se interessou pelos labirintos da psique humana. Por dez anos, trabalhou como enfermeira na área de saúde mental infantil e justamente dessa experiência nasceu seu livro de estreia. Leitora voraz e com grande imaginação, em Menina boa, menina má ela constrói um thriller psicológico intenso e envolvente que é impossível parar de ler.  Sob a perspectiva de uma adolescente, Ali Land mergulha na mente de uma assassina psicopata, que sequestra, tortura e mata crianças.

Neste post você confere cinco motivos para deixar essa obra, que chega às livrarias esta semana, na sua lista de prioridades!

1) A SINOPSE

Só de ler a sinopse já dá pra ter uma ideia do quão legal o livro vai ser! Se liga só: Depois de 16 anos sofrendo a violência constante da mãe psicopata obcecada por matar crianças, a menina Milly resolve ir à polícia denunciar a mãe. Com a prisão, Milly vai parar em uma família adotiva para se preparar para o julgamento onde vai depor contra a mãe. Ao mesmo tempo que Milly conhece os familiares, ela vai tendo que lidar com sua própria personalidade e tentar descobrir se é realmente diferente da mãe ou se ela é mais parecida do que imagina.

2) VOCÊ NÃO CONSEGUE PARAR DE LER

Se for ler antes de dormir, prepare-se para passar a madrugada toda acordada! Durante a leitura, você fica constantemente esperando o próximo passo da Milly porque ela é completamente imprevisível e uma narradora nada confiável. A medida que a história vai caminhando, você acaba ficando preso nessa própria dualidade da narrativa e começa a duvidar de certas coisas e se questionar sobre algumas atitudes dos personagens em questão. É eletrizante!

3) REVIRAVOLTAS E SURPRESAS

Prepare-se para ser surpreendido em diversas partes do livro! Em vários momentos da narrativa, quando você acha que já sacou tudo que vai acontecer, a autora vai lá e te pega completamente desprevenido. É até um pouco chocante quando as coisas acontecem!

4) A AUTORA TRABALHOU MUITOS ANOS COM SAÚDE MENTAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Depois de se formar em saúde mental na faculdade, a autora passou 10 anos trabalhando exclusivamente com crianças e adolescentes em hospitais e escolas no Reino Unido e na Austrália. Sendo assim, toda a história tem um embasamento muito interessante o que impede que ela seja contada de uma forma leviana! Mais do que um thriller incrível, Menina Boa, Menina Má faz um estudo sobre a personagem e revela algumas questões sobre pessoas que sofreram durante a infância e o quanto isso pode, ou não, marcá-las para sempre.

5) OS PERSONAGENS SÃO INTENSOS E COMPLEXOS

A Ali constrói desenvolve os personagens de uma maneira muito intensa  Além da Milly, todos os membros da família tem personalidades muito diferentes e plurais o que acaba humanizando todos eles e criando uma identificação com o leitor. Ninguém é 100% mau ou bom. E todos podem esconder sombras dentro de si por trás da aparente normalidade. Por conta do ponto de vista da Milly, nós também temos a oportunidade de estar dentro da cabeça dela e tentar vivenciar o que é ter esse passado perturbador.

Comentários
Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais