Notícias

Três livros da Record estão entre os finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura

Nenhum Comentário

Três livros do Grupo Editorial Record estão entre os finalistas da edição 2018 do Prêmio São Paulo de Literatura. “Assim na terra como embaixo da terra”, de Ana Paula Maia, e “Nunca houve tanto fim como agora”, de Evandro Affonso Ferreira, concorrem na categoria Melhor livro do ano, cujo prêmio é de R$ 200 mil para o vencedor. Já “Última hora”, de José Almeida Júnior, integra a categoria Melhor livro de autor estreante com menos de 40 anos, podendo levar o prêmio de R$ 100 mil.

Os vencedores serão conhecidos em novembro, na cerimônia de entrega do prêmio. Eles serão escolhidos por um júri formado por Jiro Takahashi, Julián Fuks, Moacir Amâncio, Neide Aparecida de Almeida e Ubiratan Brasil.

Saiba mais sobre os livros abaixo.

assim_OKASSIM NA TERRA COMO EMBAIXO DA TERRA | Ana Paula Maia | Record

Uma colônia penal isolada – um terreno com um histórico tenebroso de assassinato e tortura de escravos –, construída para ser um modelo de detenção do qual preso nenhum fugiria, torna-se campo de extermínio. Espécie de capitão do mato/carcereiro, Melquíades é o algoz dos presos, caçando e matando-os como animais, apenas por satisfação pessoal. Os presos, cada qual com sua história, estão sempre planejando a própria fuga, sem saber se vão acabar mortos pelos guardas ou pelo que os espera do lado de fora da Colônia

Capa Nunca houve Tanto Fim Como Agora MFNUNCA HOUVE TANTO FIM COMO AGORA | Evandro Afonso Ferreira | Record

Vítimas do abandono, cinco personagens sobrevivem nas ruas de São Paulo, entre ranhos e remelas, ao relento. Em suas conversas, gritos, tosses e divagações, cinco “ácaros topográficos” buscam o sentido da vida, denunciando o desdém geral dos transeuntes. Escritor premiado, Evandro Affonso Ferreira alcança, neste romance, um raro equilíbrio entre apuro literário, inovação linguística, reflexão filosófica e crítica social. Resistindo ao apelo das narrativas uniformizadas, que atualmente se confundem no vazio, Evandro tem pacientemente cultivado, ao longo de décadas, o próprio estilo. O resultado é único: uma voz contundente, ao mesmo tempo honesta e erudita, reconhecida pelo leitor desde as primeiras linhas, como ocorre nos maiores nomes de nossa literatura.

Capa Ultima Hora V4 MFÚLTIMA HORA | José Almeida Júnior | Record

Última Hora é um romance histórico que nos leva ao Brasil do início da década de 1950, visto por dentro da rotina, tramas e intrigas do jornal Última Hora. Criado pelo presidente Getúlio Vargas em plena turbulência política, a publicação tem como editor-chefe Samuel Wainer, aqui retratado em detalhes. Foi Wainer quem deu nome à famosa coluna A vida como ela é…, de Nelson Rodrigues, também convidado para formar o elenco dos colaboradores. O jornal enfrenta opositores como Carlos Lacerda, que também se opunha ao governo Vargas, mas este não é o único problema de Marcos, o protagonista. Jornalista torturado na ditadura Vargas, ao ser convidado por Samuel Wainer, Marcos primeiramente se recusa, mas acaba aceitando fazer parte da redação. Tendo que lidar com as exigências da militância e com dificuldades financeiras, o caminho tortuoso deste personagem é o pêndulo ideológico e moral que não o afronta apenas na redação, mas também em seu relacionamento familiar. O romance é lapidar em nos lembrar a história do país sem expor qualquer ranço da pesquisa histórica que lhe serviu de base. O resultado é um bordado que camufla o cerzido e deixa ver apenas o que interessa: a boa literatura.

Comentários
Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais