Listas

Cinco dicas para parar de se odiar

Nenhum Comentário

Por Rafaella Machado

Quando eu era uma criança de apenas oito anos, comecei a ficar insegura em relação ao meu peso. Eu nunca fui gorda, mas não era magrinha e longilínea como minhas amigas na época. Eu via as garotas que estampavam as capas de revistas e percebi que minhas pernas nunca seriam finas daquele jeito. Comecei a ter vergonha de usar shorts. Aos treze, comecei minha primeira dieta por conta própria. Aos dezesseis, passei a abusar de medicamentos controlados para perda de peso. Em alguns meses adquiri um transtorno alimentar que me acompanhou por mais de dez anos.

Aos 30, depois de esgotar todas as dietas e procedimentos já inventados, eu resolvi tentar uma coisa inédita: me aceitar. Afinal, eu já tinha tentado de tudo, e por mais peso que eu perdesse, por mais que eu me controlasse e me torturasse, uma coisa nunca mudou: eu continuava me odiando.

Foi nessa fase que encontrei o canal da Alexandra Gurgel no Youtube. A Xanda passou por muita coisa antes de conseguir se aceitar, e as dicas que ela dá no canal, e que estão no livro “Pare de se odiar”, são valiosíssimas. Se você é mulher e se identificou com meu relato, se está pronta para parar de se odiar, se liga nessas dicas:

 

  • PARE DE SE COMPARAR COM OUTRAS MULHERES

 

Cada pessoa tem um corpo e cada corpo tem uma história diferente. A nossa sociedade encoraja muito a competição entre as mulheres, e desde cedo somos incentivadas a olhar para a outra e desejar o que ela tem. Ninguém nos ensina a olhar para nós mesmas, e para aquilo que temos de positivo. O que você gosta em você? Quais habilidades e características são suas e são fontes de orgulho para você? Olhe mais para dentro e menos para fora.

 

  • PARE DE SEGUIR MUSAS FITNESS NO INSTAGRAM

Você é paga para malhar o dia inteiro e falar de suplementos nutricionais? Imagino que não. Imagino que sua vida seja bastante diferente da vida das blogueiras fitness, e não é à toa que seu corpo também seja diferente do delas. O problema é que onde quer que você olhe, desde campanhas publicitárias, a filmes, desfiles e até seu feed no Instagram, você verá mais corpos “perfeitos” do que corpos que pareçam com o seu. E isso acaba gerando uma insatisfação enorme consigo mesma. Então, troca o suco detox pelo feed detox, e pare de seguir contas que só servem para te fazer se sentir inadequada.

 

  • MUDE O SEU OLHAR

Essa pra mim é a dica de ouro. Lembra quando você odiava calça cintura alta e do nada começou a ver um monte de gente usando calça de cintura alta e de repente tudo que você mais queria era ter uma também? A beleza é um conceito estranho, porque a gente só é capaz de achar algo bonito quando somos expostos aquilo em certo grau. Na idade média, o padrão de beleza era ser gorda e corpos voluptuosos eram celebrados nas obras de arte daquele período. Mas hoje em dia, o considerado “bonito” é ter uma barriga negativa e pernas tão finas que as coxas nem se tocam, mesmo lado a lado. Esse é o padrão em que estamos inseridos e você não vai acordar e achar suas coxas bonitas sem antes fazer um trabalho consciente de treinar seu olhar. Comece a seguir modelos plus-size, como a @fluvialacerda , a @ashleygraham , a @tessholliday . São mulheres estonteantes de lindas e com corpos que fogem completamente do padrão. Quanto mais você treinar seu olhar, mais encontrará a beleza fora do padrão.

 

  • A SOCIEDADE NÃO QUER QUE VOCÊ SE ACEITE

Para cada uma das suas inseguranças, tem alguém ganhando dinheiro com um produto mágico para consertá-las. Barriga protuberante? Cinta modeladora. Quilos a mais? Plano de academia. Olheiras escuras? Tônico clareador. Apetite desenfreado? Remédios controlados. Seios pequenos? Prótese de silicone. Gordura localizada? Lipo. Seu corpo se tornou um produto, e o dia que você se sentir a vontade com ele, muitos segmentos especializados em “estética” vão perder dinheiro. Será que suas inseguranças vêm mesmo de você, ou será que você está sendo condicionada a se odiar?

 

  • AUTOESTIMA É UM PROCESSO DIÁRIO E NÃO TEM LINHA DE CHEGADA

O maior erro das pessoas que estão tentando se amar é achar que o amor próprio é um estágio que um dia você irá alcançar e nunca mais se sentirá mal consigo mesma. Gente, autoestima é uma luta diária. Terão dias que você sairá de casa de crop-top, diva, se amando com cada uma das suas imperfeições maravilhosas e terão outros em que alguma coisa, uma foto ruim, uma calça que não serve mais, alguma coisa irá trazer de volta a insegurança. A primeira coisa é não entrar em pânico, não quer dizer que você perdeu todo o progresso alcançado. Tá tudo bem não estar bem o tempo todo. Mas como diria a Xanda, tá se sentindo feia? Vai feia mesmo, só não deixa de ir. A vida acontece o tempo todo, não só nos dias em que estamos nos sentindo a Beyoncé. O importante não é como o seu braço fica nessa blusa, e sim as pessoas que te amam, o trabalho que te espera, as conquistas e risadas pelo caminho.

 

É isso, gente! Boa sorte na caminhada do #amorpróprio e não deixe de ler Pare de se odiar.

Comentários
Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais