Notícias

Evento no Sesc discute a obra de autores da segunda fase do Modernismo, como Rachel de Queiroz e Graciliano Ramos

Nenhum Comentário

O movimento conhecido como “Romance de 30” marcou uma virada das mais importantes da literatura brasileira moderna. Conhecidos como a segunda geração do Modernismo, esses autores deram protagonismo ao Brasil rural de um jeito nunca antes visto; sofrido e ao mesmo tempo lírico, realista e crítico das desigualdades sociais, popular e revolucionário.

Nesta segunda, o Centro de Pesquisa e Formação do SESC de São Paulo inaugura uma intensa programação, que inclui conversas com romancistas e ensaístas, para discutir a obra destes escritores – e a maioria deles têm seus livros editados pelo Grupo Editorial Record.

“A bagaceira”, de José Américo de Almeida, que completa 90 anos em 2018, é o romance inaugural da geração de 1930. Ganhou nova edição pela José Olympio em 2017, com nova capa e um glossário elaborado na época pelo autor e depois ampliado por Ivan Cavalcanti Proença. Outra obra fundamental do movimento é “O quinze”, escrito por uma Rachel de Queiroz de menos de 20 anos de idade, em 1930. O livro ambientado na histórica seca de 1915 no Nordeste também teve seu projeto reformulado recentemente pela José Olympio, em 2016, com nova capa e caderno de imagens, glossário, fortuna crítica e cronologia.

Já pela Record, outro autor essencial deste período será alvo de uma grande celebração. A comemoração em torno de Graciliano Ramos começou mês passado, com o lançamento da edição especial de 80 anos de “Vidas secas”, que apresentou o novo projeto editorial e gráfico para a obra do alagoano (saiba mais sobre o livro aqui). Nos próximos anos, serão lançadas ainda novas edições de “São Bernardo”, “Angústia”, “Insônia”, “Caetés” e “Memórias do cárcere”.

O paraibano José Lins do Rego completa a lista, com clássicos como “Riacho doce”, “Menino de engenho” e “Fogo morto” publicados também pela José Olympio.

Entre os convidados para discutir a obra e a influência desta geração na programação do Sesc também há autores do Grupo: Ana Miranda fala sobre Rachel de Queiroz e as mulheres na literatura; Raimundo Carrero está na mesa sobre romanceiro popular; e Estevão Azevedo e Franklin Carvalho compõem o painel da nova geração.

As mesas acontecem de segunda a quinta, das 19h30 às 21h30. Veja a lista completa de atividades aqui.

Comentários
Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais