Dica de leitura

A face controvertida de Trotski por trás do pince-nez

Nenhum Comentário

Neste livro magistral, Robert Service – autor de Lenin: a biografia definitiva e Camaradas: uma história do comunismo mundial – oferece enfim uma leitura imparcial de Leon Trotski, líder com papel principal na criação da União Soviética, e questiona os clichês românticos que pairam sobre ele, como o do revolucionário intelectual martirizado por Stalin e o da alma pura e humanitária perseguida injustamente.

Para escrever Trotski: uma biografia, Service pesquisou arquivos inexplorados de Moscou e da Instituição Hoover, acessou diários e cartas, recuperou jornais e panfletos, e usou seu vasto conhecimento da história russa para pintar um novo retrato do homem, de seu legado e do mundo a seu tempo.

O resultado de tantas pesquisas é um estudo fascinante, obrigatório aos que preferem conhecer os homens e suas ideias sem filtros ideológicos.

Capa Trotski V2 DSRespeitado autor de biografias e livros históricos como “Camaradas: uma história do comunismo mundial”, Robert Service apresenta em “Trotsky, uma biografia” um trabalho primoroso de pesquisa sobre a vida pública e privada do político e filósofo, que foi um dos principais responsáveis pela construção do Exército Vermelho.

Na primeira biografia de Trotski escrita fora da Rússia por um autor que não é trotskista, o líder soviético é revelado como uma figura egocêntrica, de poucos amigos e com personalidade obsessiva. A obra analisa, entre outros temas, suas contribuições na Revolução de 1917, suas diferenças com Lenin, a ruptura com Stálin e os anos no exílio.

No livro, Service relata que Trotski dizia que a situação da URSS teria sido radicalmente diferente se ele e sua facção tivessem conquistado a supremacia. O socialista acreditava que ao menos eles teriam lutado pela democratização da política soviética e contido a maré da contrarrevolução, do governo arbitrário de Stálin. Para ele, os trabalhadores teriam ficado a seu lado, se não tivessem sido impedidos de fazê-lo pela ação opressiva da polícia.

 “Trotski, uma biografia” chega às livrarias no fim de maio pela Editora Record.

Trecho:

“O próprio Trotski escreveu um vívido conjunto de memórias em 1930, dez anos antes de morrer. Seu seguidor Isaac Deutscher escreveu uma trilogia de grande verve literária em 1954-1963, e o trotskista francês Pierre Broué produziu um estudo em volume único em 1989. Trotski e Deutscher escreviam com brio, e não tenho a pretensão de me haver equiparado a seu estilo. Mas afirmo que Trotski foi seletivo, evasivo e autoengrandecedor em seu relato, e que Deutscher e Broué deixaram de fazer muitas das perguntas incômodas e necessárias a respeito dele. Broué era um idólatra; Deutscher, mesmo acreditando que o regime soviético depois de Stalin poderia corrigir-se e construir uma ordem comunista humana,rezava pela cartilha de Trotski. Trotski e Deutscher escreveram livros que ganharam influência duradoura, muito além do perímetro da extrema esquerda política, e seus juízos altamente questionáveis foram tratados, com demasiada frequência, como a última palavra sobre o assunto. Era o que queriam. A história da Revolução Russa, no entanto, merece uma abordagem mais investigativa, e esta biografia tenciona contribuir para isso.”

 Robert Service é membro da British Academy e professor de história na Universidade de Oxford.

Comentários
Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais