AssuntoBestseller
“Pare de se odiar”, de Alexandra Gurgel
Entrevistas

“Pare de se odiar”, de Alexandra Gurgel

Referência do movimento body positive, a jornalista Alexandra Gurgel conta em “Pare de se odiar”, sua jornada em busca de aceitação e liberdade — como aprendeu a se ver sem motivos para vergonha. Com bom humor, ela trata de assuntos espinhosos – desde depressão e outras doenças nascidas de uma sociedade gordofóbica até relacionamentos tóxicos, amorosos ou não – e desconstrói conceitos nos quais aprendemos a (tentar) nos encaixar durante a vida inteira, destacando a importância de entender o feminismo como uma porta para este sentimento tão libertador que é não odiar o próprio corpo. Na entrevista a seguir, Xanda fala sobre sua experiência e sobre os projetos aos quais o ativismo body positive deu origem.

Funcionárias da Record falam sobre o que odeiam nos seus próprios corpos
Prata da Casa Vídeos

Funcionárias da Record falam sobre o que odeiam nos seus próprios corpos

Em “Pare de odiar”, a youtuber e jornalista Alexandra Gurgel fala sobre sua jornada em busca de aceitação e liberdade – um processo lento e constante de aprender a amar o próprio corpo e a conviver com ele. Para divulgar o livro, algumas funcionárias da Record participaram de um vídeo dizendo o que odeiam em si mesmas, e a chance de muitas mulheres se identificarem é enorme. Vejam a seguir.

Cinco dicas para parar de se odiar
Listas

Cinco dicas para parar de se odiar

Em “Pare de se odiar”, Alexandra Gurgel, a Xanda, criadora do canal Alexandrismos, compartilha com os leitores a sua jornada de aceitação e liberdade. A busca pelo amor próprio é um processo diário e os conselhos de Xanda ajudam a persistir no caminho da aceitação. Selecionamos alguns deles neste post.

Literatura nacional em alta na fornada desta semana
Quentinho da gráfica

Literatura nacional em alta na fornada desta semana

A literatura nacional marcou os nossos recebidos desta semana. Cinco dos sete livros que rodaram na gráfica são de autores brasileiros, entre eles “Caçadora de estrelas”, da estreante na casa Raiza Varella. Recebemos ainda “Bagageiro”, novo livro de “ensaios de ficção” de Marcelino Freire; “Pense com calma, aja rápido”, no qual Daniel Schnaider ajuda o leitor a tomar as melhores decisões nos negócios; “Direitos máximos, deveres mínimos”, uma análise sobre privilégios e regalias de políticos, de Bruno Garschagen; e o novo romance de época de Lucy Vargas, “A perdição do barão”. Completam a lista “O diário de uma ansiosa”, de Beth Evans e “Arte & alma”, de Brittainy Cherry.

Cinco conceitos filosóficos que aprendi com “A monja e o professor”
Listas

Cinco conceitos filosóficos que aprendi com “A monja e o professor”

Monja budista e filósofo ocidental, Monja Coen e Clóvis de Barros Filho se juntaram para um bate-papo sobre temas como felicidade, autoconhecimento, ética e muito mais. O resultado é o livro “A monja e o professor”, que chega às livrarias pela BestSeller em setembro. Do debate reflexivo e inspirador, selecionamos cinco conceitos que ficaram na cabeça por muito tempo depois da leitura.

“Para de se odiar”, da youtuber Alexandra   Gurgel, está entre as novidades da semana
Quentinho da gráfica

“Para de se odiar”, da youtuber Alexandra Gurgel, está entre as novidades da semana

Na fornada desta semana, temos drama, suspense, culinária e uma injeção de autoestima. Recebemos o livro “Pare de se odiar”, da jornalista e youtuber Alexandra Gurgel, autora do canal “Alexandrismos”. Entre os romances, chegaram “Somos os que tiveram sorte”, que se passa durante a Segunda Guerra Mundial, e os suspenses “A mulher do meu marido” e “Que tipo de mãe é você”. Completam a lista dois livros sobre culinária e alimentação: “Cozinha judaica”, de Marcia Algranti, e “Comida”, do Dar. Mark Hyman.

“Na medida do possível”, de Fernando Rocha
Entrevistas

“Na medida do possível”, de Fernando Rocha

Jornalista e apresentador do programa “Bem estar”, da TV Globo, Fernando Rocha define seu primeiro livro, “Na medida do possível”, como um “não manual para uma vida saudável e feliz”. Ao longo das 150 páginas da obra, ele não impõe regras ou dá dicas de dietas da moda, muito menos tenta doutrinar seu leitor. Com muito bom humor, linguagem coloquial e uma prosa que cria empatia imediata com quem está lendo, abre o jogo em uma conversa franca, cujo produto final chega às livrarias pela BestSeller em setembro. Nesta entrevista, Fernando fala sobre a ideia o processo de escrever o livro, além de sua relação com o público, entre diversos outros assuntos.

Posts Populares

Este website usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Navegando neste site você consente com a nossa Política de Privacidade.

Leia Mais